O que é a Sexualidade?


A Organização Mundial de Saúde define sexualidade como uma energia que encontra a sua expressão física, psicológica e social no desejo de contacto, ternura e às vezes amor.


  • O desenvolvimento da sexualidade acontece durante toda a vida do indivíduo e depende da pessoa, das suas características genéticas, das interacções ambientais, condições socioculturais e outras, conhecendo diferentes etapas fisiológicas: infância, adolescência, idade adulta e senilidade.

sexualidade2.jpg sexualidade1.jpg

O que são Infecções Sexualmente Transmissíveis?


  • As infecções sexualmente transmissíveis são doenças provocadas por bactérias, fungos e vírus u que se transmitem por contacto sexual íntimo, quando um dos parceiros se encontra infectado. Existem várias doenças, também conhecidas por doenças venéreas, sendo de salientar a Sífilis, o Herpes Genital, a Hepatite B, a SIDA, a Candídiase e a Gonorreia.



DOENÇA
AGENTE
SINTOMAS
TRANSMISSÃO
PROGNÓSTICO
Gonorreia
Neisseria gonorrhoeae
(bactéria)
Inflamação do colo do útero,
transtornos menstruais,
uretrite no homem, secreção
amarelada
Contacto sexual, roupa
interior, toalhas
H: esterilidade.
M: inflamação da pélvis,
esterilidade e possível cegueira
do recém nascido
Sífilis
Treponema pallidum
(bactéria)
Inicialmente úlceras genitais que
não curam. Posteriormente lesões
na pele e mucosas
Contacto sexual, viaplacentária
Lesões no sistema circulatório e
nervoso. Malformação ou morte
do recém-nascido
Uretrite e vulvovaginite
Clamydia trachomatis (bactéria)
Corrimento acinzentado, espumoso, com cheiro a peixe. Nos homens, dor ao urinar.
Contacto sexual, roupa interior, toalhas.
Artrites. Infecções nos olhos, pele e boca.
Herpes genital
Vírus hominis (vírus)
Lesões vesiculares nos órgãos genitais externos.
Contacto sexual.
Pode contagiar o feto. Aumenta o risco de cancro do colo do útero.
Hepatite B
Vários tipos de vírus
Lesões hepáticas, hepatite, cirrose.
Sangue, esperma, secreção vaginal, via placenta, leite materno, saliva.
Produz graves problemas no fígado. Pode causar a morte.
SIDA
VIH
(vírus)
Anemia, febre, perda de peso, alterações imunitárias.
Sangue, esperma, secreção vaginal, via placenta, leite materno.
Transmite-se ao feto. Infecções generalizadas e morte.
Candidíase
Candida albicans
(fungo)
Picadas ao urinar, comichão, fluxo vaginal muito abundante.
Contacto sexual, roupa interior, toalhas, roupa húmida.
Mais frequente na mulher. Não têm consequências.
Tricomoníase
Trichomona vaginalis (protozoário)
Ardor, comichão, fluxo vaginal amarelo.
Contacto sexual, roupa interior, toalhas.
Infecção urinária na mulher e uretrite no homem.
Pediculose púbica
(chatos)
Phtirius pubis (artrópode)
Lesões na pele, picadelas na zona púbica.
Falta de higiene, lençóis, toalhas, contacto sexual.
Sem consequências se desparasitar a pele e desinfectar a roupa em água fervente.

Métodos Contraceptivos


  • A contracepção é qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção são múltiplos, podendo ser classificados de acordo com o seu objectivo em barreiras mecânicas e químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.



Barreiras Mecânicas

Impedem o encontro entre o espermatozóide e o óvulo



preservativo.jpg

Preservativo masculinoManga em forma de saco, de borracha (látex) muito fina. É colocado no pénis antes da relação sexual e recolhe o sémen num reservatório que tem, impedindo que ele entre na vagina.

preservativo_feminino.jpg

Preservativo femininoManga em forma de saco colocado na vagina, recobrindo-a internamente.

Diafragma.jpg

DiafragmaDispositivo de borracha em forma de cúpula que é inserido na vagina antes da relação sexual. Cobre a entrada no útero impedindo a passagem dos espermatozóides. Devido a terem diferentes tamanhos, a sua adaptação deve ser feita por um médico.




Barreiras Químicas

Substâncias que matam os espermatozóides



espermicidas.jpg

EspermicidasEspumas, cremes ou óvulos colocados na vagina antes da relação sexual.




Impeditivos de Nidação

Aparelhos que impedem a implantação do óvulo fecundado no útero



dispositivo_intra-uterino.jpg

Dispositivo intra-uterino (DIU)Pequeno dispositivo de metal ou plástico, de formas variadas, inserido no útero por um médico.




Contracepção Hormonal

Comprimidos de hormonas sintéticas (estrogénio e progesterona) que impedem a ovulação



pilula.jpg

PílulaDeve ser tomada diariamente durante 21 dias consecutivos, seguido de uma paragem de 7 dias.




Métodos Naturais

Baseiam-se na determinação através de diversas técnicas de observação, do momento de ovulação da mulher.São altamente falíveis em mulheres jovens e não devem ser aconselhados a casais sem vida sexual estável



calendario.jpg

Método do calendárioAnotando o dia em que surge a menstruação, durante uns meses, é possível calcular a altura da ovulação.

temperaturas.jpg

Método das temperaturas Implica a verificação diária do temperatura da mulher. Sabendo que a temperatura desce um pouco antes da ovulação para subir de seguida, é possível também determinar a altura do período fértil.

Billings.jpg


Método de billingsDetermina os períodos férteis da mulher com base na secreção e propriedades da mucosa produzida no colo do útero.




Métodos Definitivos

A forma mais segura de evitar a gravidez pela esterilização, já que implicam uma intervenção cirúrgica



laqueação_de_trompas.jpg

Laqueação de trompas É o corte ou o bloqueio das trompas de Falópio na mulher, que impede que o óvulo seja “encontrado” pelos espermatozóides.

vasectomia.jpg


VasectomiaA vasectomia é o corte ou o bloqueio dos canais deferentes no homem, impedindo assim a saída dos espermatozóides na ejaculação.





sexualidade.jpg




LINKS:

http://www.tu-alinhas.pt/